Top 5 das Plantas Selvagens Comestíveis

A Mãe Natureza oferece-nos maravilhas do paladar insuspeitadas. As plantas selvagens comestíveis são abundantes nas florestas, campos e jardins. Mas tenha cuidado, a colheita requer uma boa dose de conhecimento e muitos cuidados. Antes de começar, deve aprender a identificar plantas silvestres comestíveis com um profissional. Então, está a planear dedicar-se aos prazeres da colheita? Dê uma olhada em 5 plantas silvestres comestíveis que fazem maravilhas na cozinha!

#1 Urtiga (Urtica dioica)

Quem teria acreditado nisso? Urtiga, esta planta picante que avermelha as panturrilhas dos caminhantes, é deliciosa e cheia de benefícios para a saúde. As suas folhas peludas, dentadas e pontiagudas são ricas em vitaminas A, B e C. É também uma boa fonte de nutrientes (ferro, cálcio, magnésio, potássio e fósforo) e proteínas. Do lado gustativo, apreciamos o seu sabor vegetal que evoca o feijão verde. Cozinhamos urtiga fervida ou estufada, em sopa, quiche ou mesmo pesto.

A urtiga é colhida na primavera. Evite folhas muito avançadas e dê preferência a rebentos jovens, mais tenros e saborosos. Como com todas as plantas comestíveis, coma-o apenas se tiver certeza de que o identificou corretamente. Tenha cuidado para não colher em estradas ou campos tratados e certifique-se de que não foi sujo por animais. Para não desanimar com os pelos que picam, lembre-se de levar um bom par de luvas para não picar os dedos ao recolhê-los.

#2 Alho selvagem (Allium ursinum)

Os fãs vão apreciar o forte cheiro a alho selvagem, garantindo uma refeição cheia de sabor! Parece que os ursos acertaram, ou talvez o consumam por suas propriedades curativas. O alho selvagem é realmente eficaz contra os parasitas intestinais e facilita a digestão. Seu conteúdo de vitamina C e caroteno também o torna nutricionalmente interessante. Mas é sobretudo o seu sabor pronunciado, próximo do cebolinho, que gostamos particularmente. É usado fresco para dar sabor a diferentes pratos e preparações. Por exemplo, ficará excelente com uma salada de pepino ou com uma sopa. Ele também vai apimentar brilhantemente um pedaço de manteiga, maionese ou até mesmo um tofu insípido.

Esta pepita culinária cresce na vegetação rasteira. Observação: como muitas outras plantas selvagens comestíveis, o alho selvagem pode ser facilmente confundido com plantas não comestíveis. Vários casos de envenenamento grave ou mesmo fatal foram registrados após confusão com espécies que se parecem com duas gotas de água. Em particular, o alho selvagem pode ser confundido com colchicum que é particularmente tóxicos. Mais uma vez, não hesite em fazer um pequeno estágio com um botânico experiente para aprender a reconhecer o alho selvagem com segurança e desfrutar dos seus benefícios.

#3 Dente-de-leão (Taraxacum officinale)

Você sabia que esta planta também era chamada de dente de leão? O contorno de suas lindas folhas evocaria os dentes do famoso rei da savana. De qualquer maneira, o dente-de-leão tem a maior parte da nossa dieta. Suas folhas contêm vitamina C, mas também vitamina A e B e minerais como potássio, cálcio, ferro e fósforo. Entre outras coisas, é reconhecido por suas virtudes diuréticas. Seu sabor amargo, que lembra escarola, vai agradar a paladares temperados. Folhas de dente-de-leão são comidas com mais frequência em saladas, mas também podem ser cozidas. Eles também podem ser usados ​​para dar sabor a sopas ou molhos. As flores de dente de leão são usadas para fazer xaropes ou geléias.

Ao colher, dê preferência às folhas mais novas e às que estão descoloridas ou descoloridas. Este último será menos amargo e mais terno. Dica rápida: para reduzir o amargor das folhas, considere o branqueamento das plantas dentes-de-leão. Nada mais simples: basta privar a planta de luz por um momento, cobrindo-a com um vaso ou outro objeto.

#4 Falsa-acácia (Robinia pseudoacacia)

Sente aquele cheiro doce que invade as estradas a partir do mês de maio? Pode ser a árvore de acácia. Esta árvore orgulhosa está vestida com delicados cachos de flores brancas na primavera. Esta árvore de mel faz as delícias das abelhas, mas também dos respigadores! Escolha alguns de seus farandoles floridos e transforme-os em donuts incríveis. Rica, nítida e sutilmente perfumada, essas batatas darão um toque de originalidade aos seus cafés da manhã ensolarados.

Cuidado, a acácia às vezes é confundida com laburno comum ou ébano falso, que é muito tóxico! Evite as flores amarelas brilhantes do laburno comum e tenha em mente os perfumados cachos de flores de acácia.

#5 Amora (Rubus fruticosus)

Com seus espinhos afiados, a amoreira-brava é outro terror dos caminhantes. Seus arbustos, muitas vezes vistos como ameaçadores, cobrem-se, no entanto, no outono com deliciosas amoras silvestres de sabor doce suave. Essas pequenas pepitas de sabor também são aliadas da saúde. Contêm vários minerais (potássio, magnésio, cálcio, cobre, ferro, manganês) e vitaminas (A, B e C). São consumidas frescos, mas também cozinhadas. As amoras são deliciosas em sumos, compotas, geleias, tortas, mas também em licores e vinhos. Folhas de amora são consumidas pelas suas propriedades curativas. São encontradas, por exemplo, na forma de chá de ervas.

Colher amoras silvestres requer alguns cuidados para evitar ser arranhado pelos seus espinhos. Como acontece com qualquer coleção de plantas selvagens, evite, tanto quanto possível, colher qualquer coisa perto do solo que possa estar suja.

As plantas silvestres comestíveis, doces, com sabor de alho, amargo ou picante, mas sempre perfumadas, prometem maravilhas do paladar para as papilas gustativas de catadores exigentes. Eles são um tesouro natural que deve ser colhido com o máximo cuidado, mas também com cuidado e economia. Aprenda a reconhecer não apenas espécies perigosas, mas também plantas protegidas que podem desaparecer se colhidas em excesso. Na verdade, lembre-se de verificar as autorizações para retirar os locais em questão. Algumas áreas naturais são protegidas e a colheita de certas plantas pode ser proibida. Para desfrutar da generosidade da terra pelo maior tempo possível, colha pouco, mas colha bem!

Deixar um comentário