Tudo sobre a poda de árvores e arbustos

Tudo sobre a poda de árvores e arbustos

Embora na natureza, árvores e arbustos prosperem sem um jardineiro armado com tesouras de poda, a poda é uma parte fundamental da jardinagem. A poda é realizada durante todo o ano e é adaptada às necessidades de cada planta (o momento certo, a ação certa, a ferramenta certa).

Para que serve a poda?

A poda ajuda a dar e manter uma silhueta natural ou restrita aos arbustos num canteiro de flores ou cerca viva.

  • Estrutura o quadro de uma árvore de fruto ou um em treliça e limita a planta a dimensões compatíveis com o jardim ou terraço.
  • Mantém a saúde da planta removendo partes mortas, doentes ou volumosas.
  • Estimula a floração, a frutificação ou o crescimento de folhas e ramos mais coloridos.
  • Por último, prolonga a vida de uma árvore podada regularmente em comparação com uma não podada. A poda pode até rejuvenescer um arbusto envelhecido quando feita de forma mais radical pela poda total ou parcial do ramo.

O princípio básico: sempre podar alguns milímetros acima de uma folha saudável para o exterior. Para um corte limpo, o lado de corte da tesoura de poda deve estar no lado da parte retida.

Dica Jardiland: reserve tempo para escolher a tesoura de poda certa para a sua mão em termos de tamanho e peso. Para ramos grandes (acima de 2 cm de diâmetro), opte por um modelo de duas mãos com caixa de mudanças. Acima de 6 cm de diâmetro, use uma serra.

Podar uma árvore

O princípio

Uma árvore difere de um arbusto porque os brotos crescem nas extremidades dos galhos, fazendo com que o tronco fique limpo e a coroa cresça.

A poda mantém a forma natural da árvore, que deve ser conhecida e respeitada (esférica, arredondada, estendida, cônica, chorosa, etc.)
Limite o crescimento de árvores de crescimento rápido para respeitar os vizinhos, limitar o sombreamento ou preservar as vistas.
Mantenha a boa saúde cortando galhos danificados ou mortos e garanta uma boa penetração de luz clareando os galhos.

Dica Jardiland: não corte um galho no centro, mas ao nível de um ramo secundário que actua como extractor de seiva e previne o aparecimento de rebentos descontrolados.

A hora certa de podar

Árvores de folha caduca (bétula, carpa, carvalho, faia, tília…):
Poda de formação: novembro, dezembro, janeiro.
Poda de manutenção: poda verde no início da primavera.

Coníferas (cedro, abeto, pinheiro…): No outono.

Árvores frutíferas de caroço (cerejas, ameixas, etc.): Após a colheita (no verão).

Árvores frutíferas de caroço (marmelo, pêra, macieira, etc.): De novembro a março, dependendo da região.

Dica Jardiland: A poda regular (anual ou a cada 2 anos) evita grandes feridas de poda, que são uma porta de entrada para doenças e parasitas.

Poda de um arbusto florido

O princípio

Muitas vezes, é aconselhável podar no momento da plantação, mas isso é vivenciado pela planta como um stress adicional que pode dificultar a recuperação. É melhor abster-se de podar ou remover galhos insalubres ou danificados da copa. A poda pode esperar até 2-3 anos após a plantação.

Arbustos com flores de primavera (ceanothus de primavera, marmelo, forsythia, kerria, rosa não-remontante, spirea de primavera…) florescem de brotos produzidos no verão anterior. Ramos floridos são cortados um terço acima do primeiro belo broto virado para fora. O momento certo: logo após a floração.

Arbustos que florescem no verão ou no outono (abelia, buddleia de David, ceanothus de verão, hebe, hibisco, hortênsia panícula, lavanda, lavatera de árvore, perovskia, rosa remontante, etc.) florescem em botões que se desenvolvem na primavera. Uma poda curta geralmente resulta em mais flores. A hora certa: de preferência no início da primavera (março ou abril).

Dica da Jardiland: não negligencie a poda dos arbustos que crescem em grupos, como a urze, a giesta, o rosmaninho, a sálvia e o tomilho. Os seus galhos ficam desordenados e carecas. Podar com muita regularidade, removendo dois terços das novas hastes no momento certo para a floração.

Aparar uma cerca

O princípio

Seja independente, campestre, floral ou rigoroso e clássico, gostamos dela desde o início. Podar a sua cerca um ano após o plantio para incentivar a sua ramificação.

A poda de uma sebe ou cerca aberta deve ser realizada uma vez por ano, tendo em conta a forma natural dos arbustos, floração e possível frutificação. Remova galhos problemáticos, danificados ou muito velhos. Areje o centro do galho para permitir que a luz penetre no coração do arbusto.

Uma sebe estrita é podada para dar-lhe uma forma alargada na parte inferior. Desta forma, o fundo da sebe recebe luz e é menos provável que recue. Os puristas usam guias e cordas para garantir um visual limpo.

Se deseja rejuvenescer uma cerca viva que foi negligenciada por vários anos, faça isso em duas etapas. Podar um lado da cerca viva primeiro e o outro no ano seguinte. Tenha em conta que a poda drástica não é adequada para certas coníferas, como ciprestes.

Dica da Jardiland: Reserve o corta-sebes para folhagem fina. As tesouras de poda são preferíveis para espécies com folhas grandes e evitam cortar a folhagem.

A hora certa de podar

As sebes campestres são principalmente de folha caduca. São podadas durante o período de dormência, fora do período de geadas intensas, de dezembro a março. Se necessário, adicione uma poda verde no final do verão.

As sebes perenes, mas também os topiários, devem ser podadas duas vezes em abril e agosto, mas (ambos os meses em A do ano!) complete entretanto com uma terceira poda nas espécies de crescimento rápido.

Poda de rejuvenescimento

A poda de rejuvenescimento é um método suave que pode ser aplicado a todos os arbustos do jardim, mesmo que façam parte de uma sebe solta. Trata-se de podar alguns ramos velhos todos os anos, na altura certa para a espécie, e que, muitas vezes, são reconhecidos pela sua textura gretada e pela cor cinzenta. Estas darão lugar a ramos vigorosos e, portanto, toda a ramificação será substituída em poucos anos.

A poda consiste na remoção de todos os ramos de um arbusto que já não floresce, cuja folhagem colorida se desvaneceu, ou cuja vegetação se tornou inextricável ou crescida (aucuba, buddleia, loureiro-cereja, louro português, olearia, seringat, etc.). Incentive a rebrota regando abundantemente e adicionando composto.

Deixar um comentário