Adotar um cão e Responsabilidade

Adotar um cão e Responsabilidade

Sonha em ter um cãozinho? Por que não adotar um cão e dar-lhe uma segunda oportunidade? No entanto, adotar um animal não deve ser feito de ânimo leve. É uma decisão que afeta a longo prazo e precisa ser bem pensada. Um cão vai trazer muita alegria à sua família, em troca, você será responsável por muitos anos da sua felicidade e saúde. Resumo dos diferentes pontos a serem considerados para uma adoção bem-sucedida…

Adote um cão com pleno conhecimento de causa

Adotar um cachorrinho ou cão significa comprometer-se a cuidar a longo prazo do seu bem-estar físico e psicológico. Se nunca teve um cão, é preciso pensar com cuidado e avaliar o investimento que este companheiro de quatro patas lhe pedirá em todos os níveis.

Tempo para dedicar ao seu animal de estimação: terá de sair com ele 3 a 4 vezes ao dia, dar-lhe um passeio diário de pelo menos 30 minutos, dar-lhe alguns cuidados de higiene e dedicar tempo para educar e brincar com ele.

Responsabilidade: Você será responsável pela sua saúde, felicidade e comportamento, o que exige cuidado, paciência e carinho.

Orçamento: Uma dieta de qualidade e acompanhamento regular no veterinário representam um orçamento que deve ser avaliado com antecedência. Adicionado a isso está o custo de certos tratamentos, pelo menos, controle de pragas e produtos de desparasitação.

Férias: ter um cão torna as saídas de férias um pouco complicadas, não é necessário escondê-lo. Antes de se comprometer, certifique-se de ter a oportunidade de levar o seu acompanhante nas suas viagens ou mantê-lo em boas condições.

Que cão adotar?

Dependendo dos seus desejos, mas também do espaço que tem, do seu ritmo de vida e da composição da sua família, irá escolher um cão que lhe agrade e que possa fazer feliz.

  • O espaço e o tempo que tem determinarão em grande parte o tamanho e a raça do seu cão: um cão grande não será feliz num apartamento, algumas raças precisam de muito exercício físico, etc.
  • Adotar um filhote pode ser tentador, por exemplo, se tem filhos pequenos, mas terá de cuidar da educação deles de A a Z. Adotar um cão adulto é, nesse aspecto, menos restritivo.
  • Adotar um cão mais velho é uma abordagem verdadeiramente altruísta: as famílias dispostas a adotá-lo são poucas e os mais velhos desses cães nunca encontrarão pessoas que o aceitem. Ao adotá-los, em muitos casos, estará a salvar as suas vidas!

Onde adotar um cão?

Adotar um cão a um particular

As pessoas podem ser forçadas a separarem-se dos seus animais, por exemplo, devido a uma ida para o exterior, um divórcio, uma morte na família… Pode encontrar anúncios em jornais locais ou em sites de anúncios na Internet. A vantagem é que verá as condições em que o animal viveu e saberá exatamente por que os seus donos estão a separar-se dele.

Antes de decidir, observe o comportamento e o estado de saúde do cão: brincalhão ou medroso, pelo brilhante ou baço, limpeza, etc. Solicite o seu boletim de saúde e o seu cartão de identificação e não se esqueça que deve fazer uma declaração de mudança de proprietário.

Adotar um cão em abrigos ou associações

Muitos abrigos e associações de bem-estar animal oferecem cães para adoção. Ao recorrer a eles estará a dar uma segunda oportunidade a esses animais.
Quando for ao abrigo para escolher o seu futuro parceiro, vá com a sua família para que todos possam conhecê-lo. Se já tem um cão, é fundamental que o leve também consigo.
Ser-lhe-ão solicitados alguns comprovativos (identidade, residência, rendimentos…). Em troca, receberá um cão identificado, vacinado e muitas vezes esterilizado. Então, assinará um contrato de adoção que estipula os seus compromissos com o animal.

Dar as boas-vindas ao animal a sua casa

Fornecer todos os equipamentos necessários

Para receber o seu novo companheiro em boas condições, planeie uma cesta que vai montar num lugar tranquilo, tigelas para água e comida, uma coleira, uma trela, uma escova, etc. Alguns brinquedos também serão bem-vindos.

Consulte o veterinário

Depois de adotar um filhote ou cão, é bom consultar rapidamente um veterinário. Ele avaliará o estado de saúde do animal, verificará as vacinações realizadas e prescreverá tratamentos antiparasitários. Se a esterilização não foi feita, também pode considerá-la.
Por fim, o veterinário também observará o comportamento do animal e poderá lhe dar conselhos valiosos sobre isso.

Instalar o animal na sua nova vida 

O seu novo parceiro deve orientar-se gradualmente em casa. Ele foi trancado em um abrigo, pode ter sido maltratado ou pelo menos enfrentou a separação dos seus donos anteriores. Ele precisa de sua paciência, a sua compreensão e o seu respeito. Ao chegar, mostre-lhe sua cesta, tigela, brinquedos e deixe-o em paz. Os seus filhos podem abraçá-lo e brincar com ele mais tarde.

Por outro lado, inculque rapidamente rituais que facilitem a adaptação do seu cão e estabeleça imediatamente as regras da casa: apresente um recurso imediato e sem apelações contra tudo o que não é permitido. O seu cão, muito mais os filhotes, precisam da sua firmeza e gentileza.

Com o ambiente assim instalado, toda a sua família desfrutará em breve de uma cumplicidade amorosa com este novo amigo. Prazer e jogos é o que vem a seguir!

Deixar um comentário