Plantas tóxicas para os animais

A maioria de nós sabe que existem produtos perigosos para os nossos animais de estimação como alguns produtos de limpeza, inseticidas, pesticidas, fertilizantes, raticidas ou medicamentos e até mesmo algumas plantas. Sempre procuramos tê-los  fora do alcance, mas, ao sair de casa, podem entrar em contacto com algumas plantas tóxicas.

Existem muitas plantas irritantes que com um contacto simples podem causar substanciais reacções cutâneas. Outras, quando ingeridas podem causar graves problemas gastrointestinais, vômitos, diarréia, podendo causar a morte. A origem tóxica pode ser encontrada nas folhas, caules, flores ou frutas, e pode estar sempre presente ou encontrado somente em determinadas épocas do ano. O nosso animal de estimação pode acidentalmente ingerir qualquer um desses componentes e nada lhe acontece ou pode necessitar de  uma visita urgente ao veterinário. Como o nosso animal precisa de sair de casa, devemos manter as devidas precauções.

O mais razoável é educá-los desde a infância. Os filhotes que tendem a levar tudo à boca são os mais afetados. Devemos ensinar-lhes que eles não podem morder as plantas sob quaisquer circunstâncias. Se ignorado, podemos revestir as pontas das plantas com um produto amargo. Até verificarmos que o nosso cão fica completamente indiferente às plantas, não devemos deixá-lo sozinho com elas. Os gatinhos são geralmente mais seletivos quando se trata de escolher seus “brinquedos”, razão pela qual as intoxicações são menos comuns entre eles.

Apesar de lhes termos ensinado a não comer as plantas ao seu redor, outros fatores poderão contribuir para a sua ingestão:

  • Altas temperaturas no verão e a possível escassez de água  pode levar o animal a ingerir qualquer planta de caule tenro. Vigie para que tenha sempre água fresca.
  • Tédio: É comum um cão, especialmente um cãozinho, começar a morder o que estiver ao seu redor, incluindo plantas, para se distrair.
  • Mudança de casa: novos locais fazem o animal sentir curiosidade por objetos que antes lhe passavam despercebidos.
  • A falta de espaço aumenta a agressividade e pode criar um estado de nervosismo que intensifica a necessidade de quebrar e mastigar tudo o que está ao seu alcance.

E se o meu animal de estimação parece intoxicado?

Os sintomas nem sempre são evidentes, já que podem manifestar-se, em alguns casos, através de sinais digestivos, nervosos ou hematológicos. É importante:

  • A identificação adequada: descoberta da planta responsável  para poder explicar ao veterinário com precisão.
  • Dosagem: É muito difícil saber a quantidade total ingerida ou absorvida, o que torna muito difícil estabelecer qualquer prognóstico.

A maioria dos casos de intoxicação não são corretamente diagnosticados. No entanto, a evolução clínica do animal é geralmente favorável, uma vez que os sintomas são facilmente controlados com tratamentos de rotina.

Plantas perigosas

A variedade de plantas que podem ser tóxicas para os animais é enorme e a identificação de todas elas é complicada. Nos gatos, são descritos envenenamentos com plantas chamadas leitosas porque a seiva branca, de aparência láctea, que está dentro da haste contém saponina, uma substância muito irritante que pode causar perturbações graves quando ingerida. Estas são algumas que podem prejudicar os animais e que podemos encontrar facilmente no nosso meio ambiente: azevinho, adelfa, amarílis, caladium, ciclame, clívia miniata, difembaquia, espatifilo e um longo etc.

A coisa mais importante é que esteja sempre ciente dos perigos a que o seu animal está exposto e tentar levá-lo para longe deles o mais possível.

via ]

Deixar um comentário