O Jardim Botânico de Cactus em Lanzarote

Um jardim bem diferente

Numa antiga mina de extracção de areia vulcânica na ilha de Lanzarote encontra-se um dos mais interessantes jardins botânicos: o Jardim de Cactus, um espaço de cerca de 5.000 metros quadrados em forma de anfiteatro que recebe mais de dez mil exemplares de cactus das mais de mil e quatrocentas espécies diferentes. Um grande espectáculo!


Fonte

Este espaço foi a última obra realizada pelo pintor, escultor, arquiteto e artista espanhol César Manrique na ilha em 1991. O projecto teve início na década de 70 quando Manrique começou a reconstruir um moinho de vento a partir do qual agora pode-se desfrutar de uma ampla panorâmica de toda a extensão do espaço, uma fantástica paisagem vulcânica, embora ainda tenha demorado alguns anos para ser inaugurado.

Do lado de fora da vila de Guatiza, no município de Teguise, uma enorme escultura de metal com 8 metros de altura similar a um grande cactus dá as boas-vindas ao jardim. Quando se entra, a sua forma circular semelhante a um anfiteatro, e até mesmo uma cratera vulcânica, chamam a atenção.

Este jardim foi construído sobre uma mina de extracção de cinzas vulcânicas, um material usado pelos agricultores para cobrir as culturas e manter a humidade durante a noite, algo essencial numa área onde a escassez de água é muito importante.


Fonte

Estanislao González Ferrer, especialista em botânica, foi o responsável por reunir os mais de dez mil exemplares de cactus de mais de mil espécies diferentes, originários da América, Madagáscar e ilhas Canárias, que podem ser vistos neste jardim.

Esta enorme variedade cria um espectáculo cromático muito atractivo com cactus de diferentes tamanhos. Feito de caminhos de pedra, também são marcantes o pórtico de entrada, a loja e o bar-cafetaria, construído com pedras de basalto talhadas à mão. Os monólitos de basalto e lagos com nenúfares e peixes completam este jardim que não pode perder se este verão passar pela magnífica ilha de Lanzarote.

Deixar um comentário