As Orquídeas

A Orchidacear, a família das orquídeas, é a que abrange um maior número de espécies

As primeiras orquídeas chegaram à Europa no início do século XVII. Estas plantas podem ser classificadas em três grandes grupos: as epífitas, penduradas em árvores e arbustos, são as geralmente  encontradas à venda; as semi-terrestres que crescem num leito de folhas ou pedras e as terrestres, enraizadas inteiramente na terra. Em geral, pode ser dito que a Orchidacear abrange cerca de 35.000 espécies.

De notar que a maioria das espécies crescem em climas tropicais, mas a sua distribuição está generalizada em todo o mundo.

ORQUIDEAS-TOTAL-788x1024

Tais plantas precisam de muita luz para florescer corretamente, portanto, devem ser colocados nas áreas com mais luz na casa. Durante as estações de outono e inverno, a luz solar direta pode ser dada, mas não no verão e na primavera, já que os raios do sol são muito fortes e podem danificá-la. Precisam de áreas quentes e temperadas, embora sejam conhecidas algumas espécies que suportam temperaturas mais frias.

Muito importante, as orquídeas precisam ser colocados em áreas ventiladas, portanto, sugerimos que o lugar onde as colocar seja arejado diariamente.

Ainda assim, tem de ter cuidado com o grau de humidade de que precisam muito, e, especialmente no inverno com o aquecedor, nem sempre as casas têm as condições ideais. Para aumentar a humidade, pode ser pulverizada com água ou colocar recipientes com água ao seu redor.

Em relação à rega, esta vai depender da espécie de orquídea escolhidas, mas também da temperatura, da luz, ventilação, e de muitos outros factores. É sempre aconselhável regar na parte da manhã para que tenha humidade ao longo do dia e, de preferência, não a regue, se tiver em dúvida se já a regou ou não, já que não toleram excesso de água. Recomendamos que use água da chuva para regar, mas, se tal não for possível, que seja água sem sal nem cloro.

Quando ao fertilizante, recomendamos as fórmulas especiais para este tipo de planta, mas, ainda assim, também pode usar o que usa para as plantas de interior. As Orquídeas não precisam de muito alimento. Para a poda, recomendamos que remova todas as folhas e flores murchas e no final da floração, deve cortar pela base as hastes contendo flores, para que possam voltar a florescer flores grandes.

Por fim, as pragas mais comuns são, por exemplo, pulgões, ácaros ou cochonilhas, entre outros. É importante monitorar regularmente as flores da planta para descobrir se têm alguma doença, como fungos ou bactérias.

Aproveitando o facto de estarmos a falar sobre orquídeas, relembramos o workshop que terá lugar no próximo dia 15 de março. Lembre-se que é totalmente grátis!

1947659_623749447675017_1330167611_n

  1. Paula Cardoso says:

    Boa tarde, a semana passada comprei aí uma Orquidea, está linda !!! Uma funcionária muito simpática, informou-me que apenas devo regá-la quando a raiz no fundo do vaso, estiver da cor das raizes fora do vaso. Mas tenho 2 dúvidas, se me pudessem ajudar : primeiro, coloquei o vaso da Orquidea dentro de um vaso decorativo, será que devia retirá-la desse vaso para apanhar luz nas raizes ou deixo ficar onde está ? A outra dúvida, é quando devo colocar fertilizante ? A Orquidea que comprei é da espécie Phalaenopsis. Muito obrigada !!

    • Jardiland
      Jardiland says:

      Bom dia,
      Quanto à questão do vaso, não há qualquer tipo de problema, pode perfeitamente deixar no vaso decorativo…. Quanto ao fertilizante, aconselhámos nas épocas chamadas de transição seguindo assim o ciclo da natureza: Primavera e outono… Mas teremos todo o gosto em informar mais detalhadamente numa próxima visita.
      Cumprimentos

Deixar um comentário