Uma orquídea subterrânea

A orquídea que durante toda a sua vida fica sem ver o sol

Quase 100 anos atrás, em 1928, o australiano Jack Trott descobriu um buraco estranho no seu jardim e, depois de cavar a terra, encontrou uma pequena flor branca que crescia debaixo da terra e tinha um agradável aroma. Sem querer, Trott tinha descoberto uma espécie inteiramente nova de orquídea: a Rhizanthella gardneri.


Fonte

Conhecida como a orquídea subterrânea da Austrália Ocidental, é uma espécie com poucos exemplares no estado selvagem, por isso, está em grave perigo de extinção devido à destruição do seu ambiente.

É uma planta branca sem folhas com um tubo que termina numa cabeça, a flor que permanece debaixo do solo toda a sua vida. Uma vez que não consegue nutrir-se da energia da luz solar, esta orquídea une-se a um arbusto chamado Melaleuca uncinata através do fungo Thanatephorus gardneri de onde recebe os seus nutrientes. Assim, a planta converte água, esses nutrientes e o dióxido de carbono na energia de que necessita para crescer e manter-se.

O seu tempo de floração ocorre em maio e junho: nessa altura, um grupo de 8 a 90 minúsculas flores brancas, de 2,5 a 3cm, emergem através da superfície da terra. Pode até mesmo chegar a florescer no subsolo, o que a torna em algo praticamente único entre as plantas.


Fonte

Esta pecular orquídea reproduz-ze vegetativamente, embora se acredite que a polinização é realizada por pequenas moscas e insectos, incluindo térmitas ou dípteros atraídos pela sua cativante fragrância. Após a polinização, estima-se em cerca de seis meses para amadurecer.

Não se conhecem muitos detalhes da Rhizanthella gardneri, porque há muito poucos exemplares maduros no seu habitat, além de serem extremamente difíceis de detectar, pelo que não é possível recolher muitas amostras para fins de investigação.

Outras duas espécies de orquídeas subterrâneas conhecidas na Austrália, que também usam esta simbiose chamada micorriza para obter os nutrientes necessários são: a Rhizanthella slateri ou a orquídea subterrânea do Este e a Rhizanthella omissa ou  a orquídea subterrânea de Lamington.

Deixar um comentário