Uma das flores mais pequenas do mundo

A flor da Wolffia Angusta é peculiar devido ao seu tamanho

Esta diminuta planta é espectacular e impressionante devido ao seu reduzidíssimo tamanho. É uma planta aquática que mede 0,6 a 0,9mm de comprimento e 0,2 a 0,5mm de largura. Também conhecida como a lentilha da água australiana, as suas dimensões e as suas 0,15 gramas transformam-na numa das plantas mais pequena do planeta.

FlorWolffiaAngusta1
Fonte

A Wolffia Angusta tem uma textura brilhante e a sua cor é um verde intenso ou verde amarelado com as bordas um pouco mais escuras. Trata-se de uma espécie flutuante sem raízes, mas com um estame e pistilo. Semelhante a manchas de farinha de milho flutuando na água, estas plantas aquáticas tendem a flutuar em pares ou formando esteiras com outras plantas, tais como a Lemna e a Spirodela.

Os seus frutos, um pouco mais pequenos que uma grama de sal, de cor laranja e em forma de figo, contêm a mesma quantidade de proteínas que a soja e são comestíveis. Na Ásia costumam recolhê-los da água para utilizar como alimento vegetal. Este tipo de planta pode ser encontrado em vários continentes, uma vez que tem uma ampla distribuição. É muito comum confundir-se com a Wolffia Neglecta, mas esta só é encontrada na Índia e no Paquistão e não tem as bordas no tom esverdeado escuro.

FlorWolffiaAngusta2
Fonte

A Wolffia Angusta adapta-se a qualquer tipo de luz e não é nada exigente quanto ao tipo de água, mas prefere águas mais frias. No seu habitat natural, geralmente aparece em águas estanques e tranquilas, pelo que pode usá-la num aquário ou lago.

Também é uma planta muito fácil de manter, porque requer apenas cuidados mínimos. A única coisa que deve considerar é a sua rápida propagação (ao ser fanerogâmica, reproduz-se por floração), pelo que deve remover o excesso da planta para certificar-se de que não tapa a luz ao resto das plantas, afectando o seu desenvolvimento.

O seu diminuto tamanho faz com que uma dúzia destas plantas caibam sem problemas na cabeça de um alfinete! Incrível, não é?

Deixar um comentário