As plantas mortais do jardim venenoso de Alnwick

Poison Garden é um complexo de jardins adjacentes ao castelo da cidade de Alnwick, em Northumberland, Inglaterra. Inspirado no Jardim Botânico de Pádua da dinastia Medici, Itália (o primeiro jardim botânico que foi criado para cultivar plantas medicinais e venenosas em 1500), o Jardim de Alnwick é inteiramente dedicado às plantas que podem ser mortíferas.


Fonte

O jardim conta com muitas plantas que às vezes crescem nos nossos jardins sem nos apercebermos, mas também com plantas que crescem no campo britânico, assim como muitas outras variedades mais incomuns. Encontrará plantas assassinas como beladona, tabaco e mandrágora. Embora as drogas sejam ilegais, o jardim de Alnwick tem uma licença do Home Office para cultivar algumas plantas muito especiais, tais como a cannabis e a cocaína que se encontram atrás das grades de jaulas gigantes, por razões óbvias.


Fonte

Conhecido como um dos lugares mais bizarros do mundo, The Poison Garden está localizado no castelo medieval de uma das famílias mais ricas do Reino Unido, os Duques de Northumberland. Projetado pelo belga Peter Virtz, com um custo de 584.000€ e aberto ao público, tem como objectivo, segundo a explicação da própria Duquesa de Northumberland, educar os visitantes sobre os perigos de muitas destas plantas: “eu me perguntava por que tantos jardins de todo o mundo se concentravam no poder curativo das plantas, em vez de na sua capacidade de matar. Senti que a maioria das crianças estariam mais interessados ​​em saber como funciona uma planta assassina, quanto tempo leva alguém a morrer se a comer ou como horrível e dolorosa essa morte pode ser.


Fonte

Algumas das plantas que podemos observar neste jardim são realmente bonitas, apesar de sua mortalidade. Por exemplo, a cicuta, com um suco que é um poderoso veneno, também é usado como antídoto para a estricnina; ou o óleo de rícino que, com apenas uma das suas sementes, pode matar um adulto da maneira mais horrível, causando náuseas , vómitos, convulsões e a posterior desintegração dos rins, fígado e baço.

Fonte

Por isso, se decidir visitar este jardim, leve muito a sério o aviso colocado na porta: “Estas plantas podem matar”,  já que, com a familiaridade, vem o desprezo, e com o desprezo vem o perigo. De qualquer forma, é uma visita realmente curiosa que, se tiver oportunidade de a realizar, não deveria deixar de a fazer.

Deixar um comentário