As lendas milenárias de Baobab

A Baobab, uma árvore simbólica de África

Em África, lugar desta gigantesca árvore de forma variável e casca peluda, existem várias lendas sobre a origem do curioso aspecto da Baobab.

Também conhecido como “árvore garrafa” ou “árvore farmácia” ou “pão de macaco”, cresce na África Central e é uma espécie nativa das regiões semi-áridas da África Sub-Sahariana.


Fonte

Uma das lendas mais famosas sobre a sua origem trata-se da punição dos deuses pela vaidade da árvore: diz-se que há muitos anos atrás, a baoba era espectacular  também pela sua beleza, com uma frondosa ramagem de folhas verdes e suculentas, além das suas coloridas e perfumadas flores.

Os deuses, chocados com tanto esplendor, concederam o dom da longevidade. A partir daí, cresceu sem parar, tornando-se mais forte, alta e sublime, mas ocultando o calor do sol, dando sombra às restantes árvores, não as deixando crescer e causando muito frio às criaturas da floresta.

Longe de se sentir culpada pelos problemas causados e vendo que não parava de crescer, desafiou os deuses dizendo-lhes que em breve chegaria até eles. A resposta foi imediata e estes a puniram pela sua arrogância, plantado-a de cabeça para baixo e deixando os seus bonitos ramos, flores e folhas debaixo da terra, ficando com o aspecto actual em que parece que as suas raízes olham para o céu, pedindo perdão aos deuses.

Fonte

Há uma outra crença de que, no princípio de tudo, os deuses distribuíram sementes entre todos os animais para que as plantassem. As do baobab foram as últimas a renderem-se e foram dadas às hienas que, indignadas por terem sido as últimas da lista, decidiram plantá-las de cabeça para baixo. Daí a sensação de que o Baobab tem as raízes na copa.

Também há outra fábula conhecida em que os deuses punem o baobab enterrando a sua frondosa copa no solo, deixando ao ar as suas raízes e servindo todas as criaturas com os seus frutos, casca e tronco. Acredita-se que os deuses enviaram um pássaro para pôr à prova a compaixão da árvore. Preocupada apenas em manter inalterável a sua beleza, proibiu qualquer animal de pousar nos seus ramos. O pássaro, sujo e exausto, pousou sobre um dos seus ramos para limpar-se depois de ter procurado durante todo o dia, sem sucesso, alimento para os seus filhotes e ter sido atacado por um falcão. Mas, a Baobab, apesar dos apelos da ave, atirou-a para fora dos seus ramos sem piedade.


Fonte

Pertencente à família das Bombacaceae, a Baobab pode medir mais de 30 metros de altura e 12 metros de diâmetro, dependendo da espécie.

A sua longevidade é surpreendente, podendo viver mais de 3.000 anos.

Esta árvore de folha caduca só tem folhagem no verão e no seu liso tronco pode armazenar de 6.000 a 100.000 litros de água, já que a sua casca é esponjosa e tem muitas cavidades ocas. As suas flores são amarelas ou brancas e abrem durante a noite.

Os frutos, que desde os tempos antigos servem como alimento para a população devido às suas propriedades (vitamina C), são comestíveis. Com uma polpa com um sabor um pouco ácido é tradicionalmente utilizado em muitos países africanos para preparar uma bebida energética, rica em fibras, vitaminas , aminoácidos e sais minerais.

Deixar um comentário