A linguagem corporal do gato

Aprenda a entender os gestos do seu gato

Poderemos perceber o que o nosso gato quer, se prestarmos atenção à sua linguagem corporal.
Embora possa parecer o contrário, estes animais são muito expressivos e não é demasiado complicado descobrir o que significam os seus gestos e agir em conformidade.
gato1

Os gatos usam um meio primário de comunicação, isto é, os gestos e posturas corporais servem para transmitir a outro animal se estão receptivos à sua presença, ou, se, pelo contrário, podem representar uma ameaça. Às vezes, a sua linguagem corporal pode ser acompanhado por diferentes miados, algo que também pode ajudar-nos a decifrar o seu significado.

Entre as posições mais comuns, encontramos a de submissão, que se dá quando o gato sente-se ameaçado e não tem a possibilidade de fugir; mostra-se assustado, com o corpo encurvado e as orelhas inclinadas, tenta com esta postura evitar o ataque do outro animal.

Uma posição que é muito fácil de reconhecer é aquela em que se mostra amistoso, seja com pessoas ou com outros animais. Verá que a sua cauda mantém-se totalmente na vertical, e, provavelmente, esfregará alguma parte do seu corpo no outro animal ou em você , procurando cumplicidade e afecto. Também será fácil de reconhecer quando quer brincar: roda sobre si mesmo revelando a sua barriga e, se olhar de perto, verá que as orelhas estão muito rectas e as pupilas dilatadas.

Em relação à linguagem usada quando se mostra agressivo ou pouco receptivo à presença de outro animal ou pessoa, basta prestar um pouco de atenção para dar-se conta do que vai acontecer. Embora muitos os considere animais perigosos, porque nunca se sabe quando vão atacar, o certo é que avisam sempre antes de um ataque, simplesmente, precisa aprender a reconhecer e interpretar os seus gestos.

Se nota contacto visual directo, tem as pupilas dilatadas, bigodes para frente e a sua cauda faz movimentos bruscos e contínuos, é porque o gato não quer socializar. Por isso, se nos virarmos de costas, provavelmente, vai atacar. Pode, também, acontecer que o animal não se sente confortável, não tem a intenção de atacar, mas sim de fugir: pode notar isso quando o vir a por-se de lado, na ponta das patas, com o pêlo eriçado, orelhas para trás,enrugar o focinho e mostrar os dentes. Nesta ocasião, é melhor deixá-lo tranquilo e esperar que se acalme. Do contrário, pode acabar no ataque.

Se tem um gato em casa, é muito importante que, pouco a pouco, aprenda como ele se comunica através do seu corpo e miados, evitando, assim, mal-entendidos e situações desconfortáveis. Se assim o fizer, conseguirá uma magnífica convivência com este animal fantástico.

Deixar um comentário