A difícil convivência (ou não) entre animais de estimação

Outro animal de estimação em casa

Antes de decidir de levar para casa um animal de estimação quando já tem um, tem de avaliar alguns aspectos para garantir que a convivência entre os dois seja agradável tanto quanto possível. É provável que no início possam haver alguns problemas, mas com dedicação e paciência, vai conseguir acabar com o conflito entre os dois animais.


Fonte

Em primeiro lugar, tem de levar em conta a natureza dos animais que vão conviver e a situação geral em que se encontram (idade, tamanho, natureza, espaço na casa, socialização, experiências passadas, etc.) para evitar conflitos entre eles.
Os problemas mais comuns são hierárquicos, porque o animal que já estava na casa vê o seu território invadido por outro e agora tem de partilhar as suas atenções, as brincadeiras e até mesmo a comida. Há que acrescentar ainda o provável ciúme ou medo que alguns animais poderão sentir.
Quando o novo membro da família chega a casa, tem de o introduzir gradualmente. Se o animal mais antigo já é  adulto, é provável que venha a ter mais problemas, já que poderá considerá-lo um intruso que pretende ocupar o seu território e, por isso, atacá-lo.


Fonte

Se o que quer é ter dois cães em perfeita harmonia, precisa saber quem está no topo da hierarquia, de modo a que todos os privilégios, como ser o primeiro a ser acariciado ou a receber comida, comecem sempre por ele. Se respeitar a hierarquia natural, evitará conflitos, uma vez que, por natureza, os cães tendem a aceitar a posição estabelecida.
Para juntar dois gatos na mesma casa quando um deles já lá está há muito tempo, deve apresentá-los muito gradualmente, com apenas contacto visual e olfactivo no início. Aos poucos, pode ir permitindo contacto, mas sempre na sua presença. Esta adaptação pode demorar dias, pelo que, enquanto isso, deve alimentá-los separadamente e sempre dar atenção primeiro ao que já estava em casa. Depois de algum tempo, poderão tornar-se inseparáveis ou, simplesmente, conviverem no mesmo espaço, mas mostrando indiferença entre eles.
Embora possa parecer estranho, é provável que juntar um cão com um gato não lhe traga quaisquer problemas. Se está atento para que o comportamento brincalhão do cão não se torne uma ameaça para o gato, não force o encontro entre eles. E, se conhecer bem o feitio dos dois animais, poderá ter ambos a conviverem sem problemas.


Fonte

Tudo será mais fácil se levar para casa um cão ainda bebé, porque a relação com o outro animal estabelecer-se-á mais rápido e ambos respeitarão as hierarquias e regras. De qualquer forma, em primeiro lugar, deve estar sempre presente durante os seus contactos e não deve deixá-los sozinhos até que tenha a certeza absoluta de que não haverá problema.
Informe-se antes sobre as regras que regem a convivência dos dois animais que vão juntar-se e recompense, sobretudo, ao princípio, as interacções pacíficas entre eles para que possam identificar como tendo sido uma boa experiência e, assim, quererem uma repetição. No entanto, deve ter em mente que existem alguns casos de incompatibilidade, como hamsters e gatos e furões e coelhos, uma vez que na natureza são predador e presa e o seu instinto natural pode trazer muitos problemas.

via ]

Deixar um comentário